15 migrantes são resgatados com vida após naufrágios na Grécia

Cerca de 81 pessoas viajavam em dois barcos que naufragaram na costa grega no início da semana

Pelo menos 21 pessoas morreram e várias continuam desaparecidas após dois naufrágios ocorridos na segunda-feira, 31, e na terça-feira, 1, no Mar Egeu, na Grécia, de acordo com anúncio feito pela Guarda Costeira grega na quarta-feira, 2. Pelo menos 15 pessoas foram resgatadas com vida.

Na segunda-feira, uma embarcação afundou perto da ilha de Samos, no leste do Mar Egeu, deixando um morto e sete desaparecidos, com base em declarações de cinco sobreviventes, informou um porta-voz da Guarda Costeira.

Pelo menos 20 corpos foram recuperados pelas patrulhas da polícia portuária na costa da ilha de Eubeia na quarta-feira. No local, uma embarcação afundou com 68 pessoas a bordo na madrugada de terça-feira e pelo menos 10 delas foram resgatadas com vida. Os migrantes eram, em sua maioria, do Afeganistão, Irã e Egito e haviam partido da Turquia.

Em 2022, a Grécia registrou um aumento no número de chegadas de migrantes pelo mar, fugindo de guerras e da pobreza, em direção à Europa. No mar Egeu, são frequentes os naufrágios, muitos deles fatais. Em outubro, pelo menos 30 pessoas morreram quando dois barcos afundaram na região.

De acordo com a Guarda Costeira, nos primeiros oito meses de 2022 já foram resgatadas cerca de 1.500 pessoas no mar, enquanto em 2021 o número foi de menos de 600 pessoas. De acordo com dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), pelo menos 7.900 pessoas já chegaram à Grécia pelo mar desde janeiro. Pelo menos 1.700 pessoas já morreram ou desapareceram tentando chegar à Europa pelo Mar Mediterrâneo.

Por Amanda Almeida, da Equipe de Comunicação Virtual

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
novembro 2022
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados