460 migrantes resgatados aguardam autorização de desembarque na Itália

Mais de 79.000 migrantes já chegaram à Europa pelo Mediterrâneo em 2022

De acordo com a ONG SOS Mediterrâneo, que atua no resgate de migrantes no Mediterrâneo, 460 migrantes resgatados desde quarta-feira, 24, aguardam a bordo do navio Ocean Viking a designação de um porto seguro para desembarque. Seis pessoas precisaram ser evacuadas do navio por questões médicas.

Os resgates foram realizados em 10 operações, que aconteceram em menos de 60h e, agora, os sobreviventes aguardam a bordo do navio, onde recebem tratamento médico e alimentação. No total, foram resgatadas 466 pessoas, entre homens, mulheres e crianças.

As seis pessoas retiradas do navio foram levadas para uma embarcação da Guarda Costeira italiana, sendo duas grávidas de 9 meses, que viajavam com suas irmãs e duas crianças, entre as quais estava uma bebê de três semanas.

No sábado, 27, autoridades italianas informaram que 30 barcos com um total de 703 migrantes chegaram à ilha de Lampedusa. Algumas embarcações foram resgatadas à deriva, enquanto outras desembarcaram diretamente no porto ou nas docas de Favaloro ou Madonnina. Entre os migrantes haviam homens, mulheres e crianças, algumas delas ainda bebês.

Na quarta-feira, 24, a Guarda Costeira da Itália resgatou quase 1.000 migrantes em barcos precários, sendo a maioria do Sudão, Egito e Síria. Somente em 2022, mais de 50.000 pessoas já chegaram à Itália pelo Mediterrrâneo. No total, mais de 79.000 pessoas já atravessaram o mar para chegar a diversos países da Europa desde janeiro.

Segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), desde o início desse ano, pelo menos 1.000 pessoas já morreram ou desapareceram enquanto cruzavam o Mediterrâneo.

Por Amanda Almeida, da Equipe de Comunicação Virtual

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
outubro 2022
S T Q Q S S D
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados