Barco com mais de 400 migrantes é resgatado na ilha de Creta, na Grécia

Mais de 9,400 migrantes já chegaram na Grécia pelo mar em 2022

De acordo com a Guarda Costeira da Grécia, uma embarcação com centenas de migrantes a bordo, que emitiu um pedido de ajuda no mar na madrugada desta terça-feira, 22, atracou no porto de Palaiochora, na ilha grega de Creta.

Pelo menos 430 pessoas estão a bordo da embarcação, que foi rebocada por um barco de pesca até o porto. As autoridades ainda não informaram a nacionalidade dos migrantes a bordo. Dois navios de carga, um petroleiro e dois pesqueiros italianos prestaram ajuda, segundo a Guarda Costeira.

Segundo as autoridades gregas, com o aumento das patrulhas da Guarda Costeira grega e da agência de fronteira da União Europeia (Frontex), no Mar Egeu, os traficantes de migrantes estão utilizando cada vez mais a rota perigosa ao sul de Creta, por onde enviam os migrantes em embarcações precárias.

Em 11 de outubro, cerca de 30 pessoas morreram em dois naufrágios nas costas das ilhas gregas de Lesbos e de Citera – no qual dezenas de sobreviventes, principalmente do Iraque, Irã e Afeganistão, ficaram presos em uma falésia e tiveram que ser içados com um guindaste pelas equipes de resgate. No começo de novembro, mais de 21 pessoas morreram e dezenas ainda estão desaparecidas após naufrágios simultâneos nas costas das ilhas de Samos e Eubeia.

De acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), pelo menos 9,400 migrantes chegaram à Grécia pelo mar desde o início de 2022, contra cerca de 4,300 que chegaram em 2021. Até o momento, pelo menos 1,830 migrantes morreram ou desapareceram no mar Mediterrâneo desde janeiro.

Por Amanda Almeida, da Equipe de Comunicação Virtual

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
novembro 2022
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados