BIOGRAFIA

Biografia do Bem-Aventurado

João Batista Scalabrini

Legado

"doar-se todo a todos"

João Batista Scalabrini nasceu em Fino Mornasco, uma vila da província de Como, ao norte da Itália, no dia 8 de julho de 1839. O terceiro de oito filhos, após a escola primária, entrou no seminário da diocese de Como e foi ordenado sacerdote em 1863. Ele expressou o desejo de entrar e participar do Pontifício Instituto para Missões Estrangeiras (PIME), mas o bispo o orientou a se tornar professor e depois reitor do seminário menor. Em 1970 foi nomeado pároco de São Bartolomeu, uma paróquia na periferia industrial de Como, onde sensibilizou-se pela situação dos trabalhadores têxteis, dos desempregados e dos inválidos, e onde redigiu o Pequeno catecismo para crianças (1875). Ele fez 11 palestras sobre o Concílio Vaticano I, muito reconhecidas por Dom Bosco, e em 1876, quando tinha apenas 36 anos, Pio IX o nomeou bispo de Piacenza.

Como bispo, escolheu São Carlos como seu modelo, cuja dedicação pastoral e capacidade de reforma pastoral ele imitou, Scalabrini se destacou por diversas ações, entre estas:

Lembrou ao clero sobre a necessidade dos exercícios espirituais, renovou a disciplina e os estudos nos três seminários, antecipando as reformas de Leão XIII e Pio X. 

Promoveu a concórdia, severamente colocada à prova pelo conflito entre transigentes e intransigentes e entre Rosminianos e Thomistas;

 Foi a favor da conciliação entre a Igreja e o Estado;

Visitou cinco vezes as 365 paróquias da diocese, das quais 200 estavam nas montanhas, mas para ele essas visitas foram “as mais abençoadas da sua missão”.

Convocou três sínodos diocesanos, dedicados à reforma, ao testemunho cristão na Igreja e à Eucaristia, mistério da unidade;

Institucionalizou o ensino do catecismo na forma de uma verdadeira escola e reformou seu conteúdo;

Iniciou a primeira Revista Catequética Italiana (1876), publicou o Catecismo católico (1887) e em 1889 celebrou o Primeiro Congresso Catequético Nacional em Piacenza (o primeiro do gênero na história da Igreja). Pio IX o definiu como Apóstolo do Catecismo;

Se dedicou incansavelmente aos pobres, especialmente durante a fome de 1879-1880, quando ele também vendeu seu cálice e seus cavalos; 

Fundou o Instituto dos Surdos-Mudos (1879) e a Associação em favor dos trabalhadores nos Arrozais (1903) garantindo assistência religiosa, social e sindical desses migrantes sazonais;

Dedicou seu livro Socialismo e a Ação do Clero e às questões sociais. 

Scalabrini foi muito sensibilizado pelo êxodo da migração forçada no final do século XIX. Ele estudou as causas, realizou inúmeras conferências para solicitar a intervenção do governo e da sociedade civil, e trabalhou para a reforma da legislação. Para os migrantes ele fundou a Congregação dos Missionários de São Carlos (1887), das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo (1895) e uma associação leiga, a Sociedade de São Rafael (1889), ativa nos portos de embarque e desembarque. Finalmente, ele recomendou ao Papa a criação de uma secretaria, Comissão central da Santa Sé para o cuidado de todos os migrantes.

Sua extraordinária atividade como pastora e várias iniciativas sociais foram o resultado de uma alma completamente dedicada a Deus, que encontrava seu alimento na Eucaristia, que sabia aceitar a cruz (fac me cruce inebriari) e que tinha uma devoção filial a Nossa Senhora. Sua total dedicação a Deus o levou a assumir como seu, o projeto de São Paulo, doar-se todo a todos. O Papa João Paulo II o beatificou em 9 de novembro 1997.