Câmara de Vereadores de Farroupilha homenageia AESC e Colégio ESI Lourdes

Scalabrinianas estão presentes no Rio Grande do Sul desde 1915

A Associação Educadora São Carlos (AESC) foi homenageada durante a sessão solene da Câmara de Vereadores de Farroupilha, no dia 29 de agosto, pela passagem dos 60 anos da instituição e dos 105 anos de fundação do Colégio da Educação Scalabriniana Integrada Nossa Senhora de Lourdes (ESI Lourdes). A honraria, uma proposição da vereadora Clarice Baú, foi aprovada em julho pelos parlamentares da Casa.

A sessão solene conduzida pela presidente da Câmara, Eleonora Broilo, teve a mesa diretora composta pela secretária de Educação, Cultura, Esporte e Juventude, Luciana Zanfeliz, a diretora do ESI Lourdes, Salete Finimundi Gasperin, a diretora secretária da AESC, Irmã Nadir Continini, e a diretora da Escola Estadual de Ensino Fundamental Carlos Fetter – que completa 60 anos em 2022 –, Heloísa Amarante.

Em sua fala na tribuna, a vereadora Clarice Baú destacou que a AESC completa “60 anos voltados a ações de saúde, educação e um trabalho de acolhimento os migrantes que chegam com a expectativa de uma vida melhor, propiciando as condições para realização do sonho de cada um de encontrar solidariedade, inserção no trabalho, renda e uma vida digna. Assim, desempenha a responsabilidade social, por ser sua essência cumprir a missão e manter firme o propósito de acolher, educar e cuidar”.

A diretora Salete Finimundi Gasperin ressaltou o objetivo conquistado do ESI Lourdes, em 105 anos de atuação, de “promover uma educação de qualidade, comprometida com a construção do conhecimento e motivada pelos alunos, buscando soluções criativas aos desafios do mundo e contando com profissionais engajados na construção de uma sociedade justa, solidária e sustentável”.

A Irmã Nadir Contini, diretora secretária da AESC, representou a diretora presidente Irmã Lucia Boniatti no evento. Em seu discurso, além de apresentar o alcance das unidades da mantenedora no Rio Grande do Sul, apresentou o trabalho da Congregação, a celebração do Ano Scalabriniano e divulgou a data da canonização de João Batista Scalabrini, no próximo dia 9 de outubro.

O evento ainda contou com uma apresentação do professor Rodrigo Ziliotto, ao violão, e da professora Fernanda Bortolini Souto, na voz, ao interpretarem a canção “Romaria”, de Renato Teixeira, como saudação ao Colégio ESI Lourdes, onde lecionam.

Presença Scalabriniana no RS é centenária

No Rio Grande do Sul desde 1915, a Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo Scalabrinianas promove o acolhimento a migrantes e refugiados com obras em saúde, educação e responsabilidade social. Desde 1962, esse trabalho é realizado sob a pessoa jurídica da Associação Educadora São Carlos (AESC), que tem sede em Caxias do Sul.

O Colégio ESI Lourdes, em Farroupilha, é a mais antiga instituição de ensino da AESC. Fundado em 1917, começou atendendo às necessidades de educação infantil do município colonizado por imigrantes italianos. O Lourdes atua na área da Educação Básica: Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. Também utiliza da metodologia ativa, Programa Bilíngue e atividades extra classe.

Além do Colégio Lourdes, em Farroupilha, do Colégio São Carlos, em Caxias do Sul, e do Colégio São Carlos, em Santa Vitória do Palmar, que fazem parte da rede Educação Scalabriniana Integrada, a AESC mantém na Capital o Hospital Santa Ana, 100% SUS, quatro Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD) e o Hospital Mãe de Deus. No litoral, os hospitais Santa Luzia, em Capão da Canoa, e Nossa Senhora dos Navegantes, em Torres. Ainda em Caxias do Sul, sede administrativa da mantenedora, está localizado o Centro de Atendimento ao Migrante (CAM), que anualmente acolhe centenas de pessoas migrantes e refugiadas e atua para sua promoção e integração à sociedade.

Missão Internacional em 27 países

A Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo Scalabrinianas foi fundada pelo bispo João Batista Scalabrini, em Piacenza (Itália), no dia 25 de outubro de 1895, e tem como cofundadores os irmãos Padre José Marchetti e a Madre Assunta Marchetti.

A missão é o serviço evangélico e missionário aos migrantes e refugiados, especialmente aos mais pobres e necessitados. Nascida na Itália, a Congregação expandiu-se, inicialmente, no Brasil e em seguida na Europa (1936), na América do Norte (1941) e, nos últimos anos, em vários países da América Latina, da África e da Ásia. Atualmente, está presente em 26 países.

Ano Scalabriniano e canonização

Em 7 de novembro de 2021, teve início o Ano Scalabriniano, que terá sua conclusão no dia 9 de novembro de 2022. O período celebra o 25º aniversário da beatificação de João Batista Scalabrini, proclamada pelo Papa João Paulo II, ainda em 1997. O Ano Scalabriniano tem como tema “Fazer do mundo a Pátria da Humanidade”, para encorajar o acolhimento daqueles em situação de mobilidade humana.

Ainda este ano, o Vaticano anunciou, em maio, que Scalabrini, fundador da Congregação, será venerado como santo pela Igreja. O decreto foi realizado pelo Papa Francisco, após acolher a opinião dos cardeais e bispos. A cerimônia de canonização está marcada para o dia 9 de outubro.

Da Equipe de Comunicação Virtual, com AESC

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
outubro 2022
S T Q Q S S D
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados