Finlândia registra número recorde de refugiados ucranianos

Europa já tem mais de 6,3 milhões refugiados ucranianos

Autoridades finlandesas anunciaram nessa segunda-feira, 8, que o país recebeu um número recorde de solicitações de asilo após o início da guerra na Ucrânia, superando até mesmo os números da crise migratória de 2015. Segundo o Serviço de Imigração do país, um terço dos que fogem da Ucrânia são crianças.

De acordo com uma nota emitida pelo Serviço de Imigração finlandês, até 4 de agosto, “as pessoas que fugiram da Ucrânia pelo ataque militar da Rússia apresentaram 35.074 solicitações de proteção temporária”. Segundo a nota, mais de 37.000 pessoas estão registradas no sistema de acolhida, superando os 32.000 registros, alcançados em 2015.

Segundo o órgão, foram processadas 33.480 solicitações até agora, o equivalente a 95% do total. Destes, 33.231 pessoas receberam proteção e menos de 1% das solicitações receberam uma resposta negativa. Segundo o Serviço de Imigração, “os solicitantes que receberam uma resposta negativa são cidadãos de países diferentes da Ucrânia”.

De acordo com dados do ACNUR, a Agência da ONU para os Refugiados, mais de 6,3 milhões de refugiados ucranianos foram registrados na Europa desde o início da guerra, em 24 de fevereiro.

Por Amanda Almeida, da Equipe de Comunicação Virtual

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
outubro 2022
S T Q Q S S D
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados