Francisco recorda ucranianos: “vivendo uma imensa crueldade”

Papa demonstrou proximidade aos ucranianos, que sofrem há 6 meses com a guerra

Desde o início da guerra na Ucrânia, há seis meses, o Papa Francisco recorda constantemente a situação do país. Durante o Angelus de domingo, 21, Francisco fez um novo apelo, recordando a situação vivida pelo povo ucraniano, no qual demonstrou solidariedade à população.

“Perseveramos na proximidade e na oração pelo querido povo ucraniano, que está vivendo uma imensa crueldade”, disse Francisco. Essa é a 13ª vez consecutiva, desde 5 de junho, que o Pontífice fala sobre a situação no país.

Recentemente, Francisco enviou uma carta à freira Teresina Longo, superiora de um instituto na Sicília que acolheu crianças evacuadas da Ucrânia. “Estou fazendo tudo aquilo que posso pela Ucrânia. Estamos vivendo uma crueldade”, disse o pontífice na carta, em resposta à um escrito anterior da freira, que falava do acolhimento aos órfãos e mulheres da Ucrânia.

A assessoria de imprensa da Administração Militar Regional de Zaporizhzhia, segundo o Ukrinform, informou que apenas no sábado, 20, mais de mil pessoas, incluindo 324 crianças, foram evacuadas da área da usina nuclear ocupada pelo Exército russo. No entanto, constantemente há notícias de diversas fontes que denunciam civis mortos e feridos em ataques, especialmente na região de Donetsk.

A guerra na Ucrânia já fez mais de 6.6 milhões de refugiados por toda a Europa desde seu início, em 24 de fevereiro. Atualmente, pelo menos 1.2 milhões do total de refugiados ucranianos está registrado na Polônia, segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

Por Amanda Almeida, da Equipe de Comunicação Virtual

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
outubro 2022
S T Q Q S S D
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados