Igreja no Brasil inicia celebrações da 37ª Semana do Migrante

A Equipe de Comunicação da PMMM realiza, no dia 17, a transmissão “Migrar é um direito humano: Histórias de Integração”, em celebração da data

Foi iniciada no domingo, 12, a 37ª Semana do Migrante, que tem o tema “Migração e Saberes” e é organizada pelo Serviço Pastoral dos Migrantes (SPM), com a participação de diversas organizações brasileiras. A Semana do Migrante foi iniciada com uma Missa no Santuário Nacional de Aparecida e acontece até o dia 19 de junho, com o lema “Escuta com sabedoria e fala com a prática”.

Durante a celebração, o bispo da diocese de Pesqueira (PE) e presidente do SPM, Dom José Luiz Ferreira Salles, destacou que o tema e o lema da Semana do Migrante estão em sintonia com a Campanha da Fraternidade deste ano, que teve como tema “Fraternidade e Educação” e como lema “Fala com sabedoria, ensina com amor”, com o processo sinodal e com o magistério do Papa Francisco. De acordo com o bispo, o Pontífice vem reafirmando a importância da escuta como um método pastoral.

De acordo com Dom José Luiz, o Santo Padre traz para o centro do debate a causa migratória, que, neste momento, com a pandemia, se torna cada vez mais aguda. “Nos 20 pontos para um pacto global sobre migração e refúgio, o Papa Francisco nas suas propostas acerca dos 20 pontos para uma migração segura e integral, nos provoca a buscar uma aprendizagem que leve a construção coletiva de uma sociedade que seja cada vez mais inclusiva”, enalteceu durante a celebração.

“Migrar é um direito humano: Histórias de Integração”
Para celebrar a Semana do Migrante, a Equipe de Comunicação da PMMM, juntamente com a AESC, realiza na sexta-feira, 17, a transmissão ao vivo “Migrar é um direito humano: Histórias de Integração”, pelo canal do YouTube das Irmãs Missionárias Scalabrinianas. Durante o evento, que tem como objetivo refletir sobre histórias de migração e refúgio e demonstrar que migrar é um direito humano, será realizado um diálogo a respeito das histórias de integração de migrantes e refugiados no Brasil e sua relação com a comunidade e território de residência atual.

Além disso, é necessário fortalecer as narrativas de migração de forma positiva, a fim de garantir igualdade, dignidade e direitos humanos a todas as pessoas em migração. Assim, a partir de histórias reais daqueles e daquelas que vivenciaram a migração nas suas jornadas, o evento ocorre a fim refletir que “precisamos de histórias que nos mostrem que os valores que temos em comum são mais fortes do que aquilo que nos divide. Histórias que pintam uma imagem esperançosa do futuro que compartilhamos”, conforme diz Michelle Bachelet, Alta Comissária das Nações Unidas para o Direitos Humanos.

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
dezembro 2022
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados