Mais de 6.9 milhões estão internamente deslocados na Ucrânia

No total, a guerra na Ucrânia já deslocou cerca de 13 milhões de pessoas

De acordo com dados divulgados na terça-feira, 30, pela Organização Internacional para as Migrações (OIM), o número de deslocados internos na Ucrânia aumentou para 6.9 milhões em agosto, após seis meses do início da guerra.

“A guerra não mostra sinais de abrandamento. O prolongado deslocamento interno gera necessidades crescentes e vulnerabilidades”, disse o chefe da missão da OIM na Ucrânia, Anh Nguyen, que salienta que o número de novos deslocados registrados a partir de julho já ultrapassa as 300 mil pessoas.

De acordo com a OIM, 44% das pessoas deslocadas em idade ativa não tem nenhuma fonte de renda, sendo que apenas um terço indicou ter um salário e outros 24% dependem do apoio do Estado. Em consequência, pelo menos 70% dos deslocados diz ter recorrido a redução de despesas, como na alimentação, enquanto um terço delas contraiu dívidas durante a guerra.

A guerra na Ucrânia, iniciada em 24 de fevereiro pela Rússia, já causou o deslocamento de 13 milhões de pessoas, incluindo quase 7 milhões para outros países da Europa, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica essa crise como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

A ONU já confirmou a morte de pelo menos 5.663 civis e 8.055 feridos na guerra, ressaltando que os números reais podem ser muito maiores. O número total de refugiados ucranianos registrados na Europa em 23 de agosto era de 6.865.625 pessoas, segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

Por Amanda Almeida, da Equipe de Comunicação Virtual

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
outubro 2022
S T Q Q S S D
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados