Navio humanitário resgata migrantes após lei italiana que dificulta atuação no Mediterrâneo

Mais de 104 mil migrantes chegaram à Itália pelo mar em 2022

A ONG Médicos Sem Fronteiras (MSF) resgatou 85 migrantes no Mar Mediterrâneo nos últimos dois dias a pedido do Centro Nacional de Coordenação de Socorro Marítimo da Itália, de acordo com a organização. A operação vem logo após o Governo italiano assinar um decreto que endurece o controle sobre a atuação de navios humanitários na região.

Na primeira operação, durante a madrugada de domingo, 1, o navio Geo Barents do MSF resgatou 41 migrantes da água, após o barco em que estavam naufragar em águas internacionais da Líbia. Entre as pessoas resgatadas estavam duas mulheres.

Durante a madrugada de segunda-feira, 2, a equipe do MSF realizou a transferência para o Geo Barents de 44 migrantes que haviam sido resgatados por um navio mercante, também a pedido do Governo italiano.

Após os dois resgates, o porto de Taranto foi designado como porto seguro para desembarque dos 85 sobreviventes. “Estamos agora a caminho de Taranto. Levaremos cerca de dois dias para chegar ao porto”, escreveu o MSF no Twitter.

Recentemente, a Itália aprovou um decreto-lei que restringe a atividade de navios de ONGs que atuam no resgate de migrantes no Mediterrâneo Central, considerado como a rota migratória mais mortal do mundo. A medida não impossibilita o desembarque de resgatados em alto mar, mas torna as operações mais difíceis, uma vez que determina que o navio deve solicitar um porto para desembarque logo após o resgate, ao invés de permanecer mais tempo no mar enquanto busca por outros barcos de migrantes em perigo.

De acordo com dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), em 2022 pelo menos 104.484 migrantes chegaram à Itália pelo mar. Em 2021, o total foi de 67.477 chegadas.

No total, de acordo com o ACNUR, 150.177 migrantes cruzaram o Mediterrâneo em 2022, contabilizando as chegadas à Itália, Grécia, Malta e Chipre. Segundo a organização, pelo menos 1.940 migrantes morreram ou desapareceram enquanto tentavam cruzar o Mediterrâneo para chegar à Europa no ano passado.

Por Amanda Almeida, da Equipe de Comunicação Virtual

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
fevereiro 2023
S T Q Q S S D
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728  

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados