Número de refugiados ucranianos chega a 7,8 milhões

Após nove meses de conflitos, mais de 1,5 milhão de ucranianos estão registrados como refugiados na Polônia

De acordo com dados divulgados pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), mais de 7,8 milhões de ucranianos já foram registrados como refugiados desde o início da guerra, em 24 de fevereiro. Desses, 4,7 milhões estão registrados para proteção temporária ou equivalente em países da Europa.

De acordo com a Agência da ONU, pelo menos 1,5 milhão de refugiados do total estão registrados na Polônia, país com a maior fronteira terrestre com a Ucrânia. A Alemanha já recebeu, até o momento, cerca de 1 milhão de ucranianos, enquanto a República Tcheca já recebeu pelo menos 464 mil.

Até o momento, a Itália já recebeu cerca de 164 mil refugiados ucranianos, enquanto Reino Unido e Bulgária receberam em torno de 146 mil cada. Ainda segundo o ACNUR, pelo menos 2,8 milhões fugiram para a Rússia e outros 16,4 mil para Belarus, onde também estão registrados como refugiados.

Recentemente, o Papa Francisco enviou uma carta ao povo ucraniano, na qual expressa sua solidariedade e angústia por todo o sofrimento que a população passa desde o início da guerra. “Não há dia em que eu não esteja ao lado de vocês e não carregue todos no meu coração e na minha oração. Sua dor é minha dor”, escreveu o Pontífice.

Atualmente, estima-se que pelo menos 6,9 milhões de pessoas estejam deslocadas internamente na Ucrânia. Devido aos recentes ataques à rede de energia ucraniana, acredita-se que o número de deslocados internos e de refugiados pode aumentar ainda mais com a chegada do inverno.

Por Amanda Almeida, da Equipe de Comunicação Virtual

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
fevereiro 2023
S T Q Q S S D
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728  

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados