Pelo menos 50.000 estão deslocados por confrontos no Sudão

Além desses, ao menos outras 125 pessoas morreram por causa da violência

A ONU informou nesta terça-feira, 14, que cerca de 50.000 pessoas estão deslocadas pelos recentes confrontos em Darfur, no oeste do Sudão, que já fizeram pelo menos 126 mortes nas tribos Gimir e Rizeigat.

“Mais de 125 pessoas foram mortas e muitas outras ficaram feridas” entre 6 e 11 de junho, informou o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), em comunicado, que afirma que mais de 25 aldeias de Gimir “foram atacadas, saqueadas e queimadas” e “50.000 pessoas fugiram de Kolbus para as cidades vizinhas de Sirba, Jebel Moon e Sarfa Omra”.

Segundo a ONU, 101 dos mortos pertencem à tribo Gimir e outros 25 aos Rizeigat. Os combates começaram em 6 de junho entre a tribo não árabe Gimir e a tribo árabe Rizeigat na região de Kolbus, a cerca de 160 quilômetros da capital do estado, El Geneina. A violência foi desencadeada por uma disputa por terras na região.

Em 2003, Darfur foi palco de um conflito entre rebeldes de uma minoria étnica e o governo de maioria árabe, que matou pelo menos 300.000 pessoas e forçou 2,5 milhões de pessoas a fugir de suas casas, segundo dados das ONU.

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
dezembro 2022
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados