Quase 300 migrantes são resgatados por ONG no Mediterrâneo

Outros 65 foram resgatados pela Guarda Costeira italiana

Na segunda-feira, 17, a tripulação do navio de resgate Geo Barents, da ONG Médicos Sem Fronteiras (MSF), resgatou 76 migrantes, entre eles 17 menores, que tentavam atravessar o Mar Mediterrâneo em um barco de madeira. Eles se somaram a outras 217 pessoas que haviam sido resgatadas em outras quatro operações, chegando ao total de 293 resgatados.

Após cinco operações de resgate, a tripulação do navio agora está à procura de um porto na Europa que aceite o desembarque dos quase 300 migrantes a bordo.

De acordo com o MSF, o barco em que estavam os quase sem migrantes resgatados na noite de segunda-feira estava em perigo e, quando os socorristas chegaram ao local, a água já havia entrado no barco. “Sem nossos esforços, essas pessoas teriam sido deixadas para se afogar no mar”, escreveu a organização, afirmando que, após a operação, 239 migrantes estavam a bordo do Geo Barents.

Ainda na segunda-feira, a guarda costeira italiana tirou 65 migrantes da pequena ilha de Lampedusa, de acordo com a organização alemã RESQSHIP. Na tarde de domingo, 16, os voluntários da organização afirmaram ter visto o barco migrante perdido no mar e escoltado até a zona de busca e resgate italiana.

Em um tweet, a organização RESQSHIP apontou que se não tivessem alertado a guarda costeira italiana sobre a presença dos migrantes no mar, eles “poderiam ter sido perdidos no mar”.

De acordo com a Organização Internacional para as Migrações (OIM), 1.685 migrantes já morreram ou desapareceram no Mediterrâneo desde o início do ano. Até o momento o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) estima que mais de 107 mil pessoas chegaram à Europa pelo Mediterrâneo em 2022.

Por Amanda Almeida, da Equipe de Comunicação Virtual

Compartilhe esta informação. É muito importante.

As pessoas também estão lendo:

AGENDA DE PUBLICAÇÕES
novembro 2022
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Irmãs Scalabrinianas

Estão presentes em muitos países do mundo.
Para melhor exercer sua missão, a Congregação divide-se em províncias/regiões de missão.
 
Nestes espaços, as irmãs se dedicam à missão que aceitaram realizar, comprometendo-se com a vida, especialmente dos que mais sofrem, dos migrantes, dos refugiados.
 
São mulheres que escolheram seguir o chamado de Deus, confiando-lhes uma linda e importante missão na igreja.

Siga-nos

Mais recentes no site

Conheça o trabalho das Irmãs Scalabrinianas com migrantes e refugiados